segunda-feira, 24 de junho de 2013

Unboxing Telescópio Celestron Advanved VX 8 Newtonian

Antes de ir embora agente resolveu verificar se o Advanced VX funciona a 5.5 graus de latitude. E para nossa surpresa funciona sim !

Link para o telescópio:

Segue fotos do unboxing:



































quinta-feira, 20 de junho de 2013

Telescópio espacial obtém financiamento coletivo


RIO – A Planetary Resources, que no fim do mês passado lançou campanha de financiamento coletivo para um telescópio espacial, atingiu a meta de levantar US$ 1 milhão para o projeto. Com isso, um dos satélites Arkyd-100 que a empresa dedicada à mineração espacial pretende lançar nos próximos anos para caçar asteroides estará disponível para os apoiadores, que dependendo da quantia doada poderão desde receber fotos tiradas no espaço com a Terra ao fundo, mostrando uma imagem escolhida por eles projetada em uma tela instalada no telescópio, a usar tempo de observação com o equipamento, que poderão usar para capturar imagens dos objetos celestes de sua escolha ou doar para instituições de ensino ou pesquisadores.

Diante do sucesso da campanha abrigada no site de financiamento coletivo Kickstarter e faltando ainda dez dias para seu final, a Planetary Resources decidiu acrescentar mais funções ao telescópio espacial caso o total de doações atinja US$ 2 milhões. Segundo a empresa, o dinheiro extra permitirá o desenvolvimento de sistemas de estabilização, óticos e eletrônicos para o Arkyd de uso público de forma que ele aumente sua capacidade de observação do espaço profundo, podendo ser usado também para procurar por planetas extrassolares. Estas melhorias não previstas no projeto dos equipamentos que a Planetary Resources pretende usar para identificar asteroides de interesse econômico para seu negócio.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/ciencia/telescopio-espacial-obtem-financiamento-coletivo-8754741#ixzz2WmYnHV4w

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Estrelas 'bebês' lançam jato de poeira em regiões distantes da Via Láctea

Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa, ajuda a mapear a nossa galáxia.
Até o fim do ano, astrônomos esperam ter uma visão em 360° do céu.




Novas observações de áreas mais distantes e desabitadas da Via Láctea, feitas pelo Telescópio Espacial Spitzer, da Nasa, mostram dezenas de estrelas recém-nascidas lançando jatos de seus "casulos" de poeira. O estudo da Universidade de Wisconsin foi apresentado na quarta-feira (5) durante reunião da Sociedade Americana de Astronomia, em Indianápolis.

As imagens foram captadas por raios infravermelhos em azul e verde do Spitzer, e combinadas com informações em vermelho do telescópio Wise, também da Nasa, que preencheu lacunas nas áreas que o Spitzer não cobriu.
Uma das fotos revela a região próxima à constelação do Cão Maior, com mais de 30 astros jovens ejetando material. Até agora, já foram identificadas 163 regiões que contêm jatos expelidos por estrelas, algumas agrupadas e outras isoladas.
Os registros fazem parte do projeto Glimpse 360, que está mapeando a topografia do céu da nossa galáxia. Ainda este ano, devem ser divulgados os resultados, que incluem uma visão completa em 360°. Até agora, o projeto já mapeou 130° do céu ao redor do centro da galáxia.

A Via Láctea é uma coleção de estrelas espiral e predominantemente plana, como um disco de vinil, mas com uma ligeira dobra – que também será mapeada. Nosso Sistema Solar está localizado a cerca de dois terços de seu centro em direção às extremidades, no chamado Esporão de Órion, um desdobramento do braço de Perseus, um dos principais braços da galáxia.
Segundo a astrônoma Barbara Whitney, da Universidade de Wisconsin, os cientistas estão descobrindo todos os tipos de formação de novas estrelas em áreas menos conhecidas das bordas exteriores da Via Láctea.
Para ajudar no Glimpse 360, os astrônomos também têm contado com a ajuda do público leigo, que vasculha as imagens obtidas em busca de bolhas cósmicas que indiquem a presença de estrelas quentes e de grande massa. Essas pessoas participam do Projeto Via Láctea, que funciona em esquema colaborativo e voluntário.

Fonte: Globo.com